terça-feira, 26 de junho de 2012

BRINCANDO NAS FÉRIAS - SOLTANDO A IMAGINAÇÃO - ORIGAMIS QUE FALAM


Dizia minha mãe que férias não significava ficar sem fazer nada, mas fazer coisas diferentes. Continuar aprendendo, realizando, mas coisas gostosas.
Na atual preocupação com o desenvolvimento de crianças, um tanto quanto programado queremos propor atividades diferentes para famílias.
Aproveitar as férias para crescer com suas crianças e adolescentes.
E a MARIA DOBRADURA quer ressaltar que mais importante do que empanturrar as crianças de sabedorias adiantadas é necessário que sejam dadas as bases. Essas bases correspondem ao desenvolvimento da observação, percepção, imaginação, investigação, crítica, ação de mente, corpo e sentimentos. E acreditamos pia e fortemente que atributos necessários para o ser humano introduzidos desde a infância, não se deixa para a escola fazer, quem está mais perto deve estar atento e... aproveitar para crescer mais um pouco juntos. A escola fica com a parte acadêmica, mas os pais não estão livres de promover essa base estrutural de seus filhos.
Mas, não grudem nas crianças, apenas possibilitem instrumentos e gosto pelas realizações.
Aproveitemos as férias para maior intercâmbio dessa natureza com as crianças e com quem mais for.
Muitas pessoas reclamam que não são criativas - falta de imaginação.
Muitos estudantes são péssimos em redação. Profissionais péssimos em relatórios. Falta de IMAGINAÇÃO com palavras. falta de imaginação, leva à falta de gosto, de percepção e o problema circula em si mesmo e só inchando.
Muitos dizem que não sabem fazer nada... se não é preguiça, é falta de imaginação.
Então nas propostas parceladas para o mês de julho, a MARIA DOBRADURA em sua primeira postagem incentivará a 

IMAGINAÇÃO DA PALAVRA FALADA.
Pode ser ouvida, lida, escrita. Mas os origamis querem favorecer diálogos, estórias, invenção de estórias. Contação de estórias. Grandes pequenas e médias estórias. E por que não as FÁBULAS?

NOTA:- FOI MUITO INTERESSANTE quando pedimos para a Letícia tirar as fotos o interesse que ela teve pelos marionetes estilizados, inventou estórias, solicitou outros origamis em palitos ou linhas como gotas de chuva, guarda-chuva, pois afinal a raposa tinha ido na floresta visitar o guaxinim e começou a chover. 
Desembestando em sua imaginação, ela é bastante criativa, sugeriu 
que poderiam se refugiar num castelo. E por aí foi e vamos continuar inventando.
Como dizia o JULIO GOUVEIA nos anos 50 quando acabavam os capítulos de suas estórias maravilhosas na TV TUPI :...mas, quando...acabou-se a estória. Entrou por uma porta e saiu pela outra, quem quiser que conte outra!
E assim tudo continuava! Eu, por exemplo sou daquela época e até hoje continuo desse jeito.




SAPOS EM ESTÓRIAS
Há sapos que querem ir á festa no céu, mas têm a boca grande.
Há sapos que viram príncipes. Há sapos de tudo quanto é jeito. E eles falam.
ORIGAMI DE SAPOS DE FALAM - melhor, dublam, quem fala é a pessoa que os maneja.


EXPLICAÇÃO
PASSO 1 - marcar a linha central e fazer as dobras indicadas.
PASSO 2 - Virar o papel e fazer a dobra central no comprimento. Marcar 1/4 de cada lado e trazer para o centro, formando o quadrado.
PASSO 3 - Virar o origami novamente e dobrar e voltar as quatro pontas para o centro.
PASSO 4 - Puxar para a frente as dobras que estão atrás. Puxar o bico para a frente e empurrar o interior da boca para trás.
PASSO 5 - Dobrar as pontas laterais para trás e desenhar a fisionomia. 
Quando pressionar por trás as duas laterais a boca abre e fecha e os sapos podem desde dizer BOM DIA até contar várias estórias. Podem se misturar a outros bichos, também.


DEDOCHES
Outra forma de introduzir diálogos imaginativos são os dedoches.
Colocamos o diagrama básico e fazer diferentes animais fica por conta, também, da imaginação e treino de habilidade para formatar o que se quer.
Esses dedoches são do livro japonês  折り紙 ごっこ 遊び . Traduzindo, no meu entender, como origami para brincar com as mãos (aceito correções). (SHUFUNOMOTO CO. LTD. 2003 - Japan)










MARIONETE
Os hashis - palito/talher oriental - servem de suportes para vários origamis. Enquanto se conta, inventa estórias os personagens e outros elementos podem aparecer seguros movimentando-se e falantes.
Aqui colocamos um exemplo de raposa com guaxinim. Raposas adoram frequentar estórias com sua sabedoria que nem sempre dá certo.
Entre algumas
A RAPOSA E AS UVAS - fábula de Esopo
A RAPOSA E A CRIANÇA
A RAPOSA E O LOBO -fábula de LaFontaine
A RAPOSA E O CORVO - fábula de Esopo
A RAPOSA E A CEGONHA - de LaFontaine
A raposa e as uvas e várias outras fábulas podem ser conhecidas. São estórias simples e instrutivas.

(Revista japonesa PICCOLO)

Prestar atenção à sequencia dos números e das cores, pois mudam de página.

PEIXES QUE FALAM
 Eles ficam parecido com o Nemo. Com olhos colados, ainda parecem piscar, com aqueles olhar de peixe-vivo!
Pode-se aproveitar, também na imaginação pela palavra, esta em forma cantada. Aproveitar canções e inventar outras. Aqui, lembramos da música de folclore nacional COMO PODE O PEIXE-VIVO viver fora da água fria....


(livro ORIGAMI DEGO-KO ASSOBI- ISBN4-07-240477)

INDICAÇÕES PRECIOSAS- Boas leituras são necessárias para quem lida com crianças, com profissões e seja o que for. Há muitos livros de literatura infanto-juvenil muito interessantes. Particularmente compro até hoje.
1-TATIANA BELINKI que com seus 90 anos ainda produz livros espetaculares é viúva de Julio Gouveia e trabalhou com ele nesse projeto que levou tantas pessoas ao gosto pela leitura. Ainda tenho os livro ANGELIKAS, PEQUENO LORD, POLIANA  e tantos outros. Sempre há livros novos da Tatiana sendo lançados.
2- Um livro que pode ajudar muito em saber o que desperta o gosto de leitura e trabalhar com a parte verbal criativa é GRAMÁTICA DA FANTASIA de Gianni Rodari e editado pela SUMMUS Editorial. Usamos muito esse livro quer em trabalhos com professores como em trabalhos clínicos de psicologia.
Seguem-se nessa proposta da MARIA DOBRADURA.

2 comentários:

  1. Olá, Mª Dobradura! Amei seu post. Interessante a ideia de po-los no palito e trabalhar historinhas. Nunca havia pensado nisto. Obrigada pela ideia.
    Bjos e boas dobras.

    ResponderExcluir
  2. Olá, não entendi como se faz esse peixe. Como se passa do passo 5 pro 7? Obrigada desde já.

    ResponderExcluir